Joanópolis (SP) – A Capital do Lobisomem

Localizada nos contrafortes da Serra da Mantiqueira, na divisa entre São Paulo e Minas Gerais, Joanópolis atrai inúmeros turistas, graças às suas belezas naturais e rica cultura.

Sua história começou no século XVIII, mas somente em 1895 foi elevada à categoria de vila com a denominação de São João do Curralinho.

O município tomou a denominação de Joanópolis, em 1917, cujo significado é cidade de João, em virtude de seu padroeiro, São João Batista.

Em 2001, o município foi elevado à categoria de Estância Turística.

Logo na entrada da cidade existe um Portal, onde os visitantes podem obter informações sobre o turismo local.

Júlio César Cunha Teixeira – Portal Turístico

 

Também existe um totem da Rota Bandeirante.

A cidade faz parte da Rota Bandeirante – Fernão Dias (alça Itaberaba), do Programa Caminha São Paulo, composta por 13 municípios e que resgata as expedições conhecidas como bandeiras.

Disponível nos sistemas operacionais IOS e Android, o app Caminha São Paulo oferece o mapa da rota para acompanhamento online por GPS e contém indicação de hospedagem e restaurantes.

A cidade possui belas paisagens e proporciona um rico contato com natureza. Um dos locais mais visitados em Joanópolis é a Cachoeira dos Pretos, localizada a18 km do centro da cidade. Com 154 metros de queda d’água, é uma das maiores cachoeiras do estado de São Paulo.

Está inserida na APA Sistema Cantareira, criada em 1998, com o objetivo de proteger os mananciais hídricos dos rios de abastecimento público, em especial os que drenam para os reservatórios de Jaguari, Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Paiva Castro.

O nome da cachoeira está relacionado a uma família de origem portuguesa, Preto de Oliveira, que deu origem ao nome do bairro e da cachoeira.

A cachoeira fica no complexo Eco Fazenda Cachoeira que conta com boa infraestrutura, como lanchonete, restaurante, estacionamento e banheiros e oferece aos visitantes várias atividades de aventura: tirolesa, passeios de jipe e a cavalo, boia-cross e pedalinho.

Embora menos conhecidas, a cidade possui outras quedas d’aguas como a Cachoeira Escondida, as Cachoeiras dos Pires, da Laje, Prainha, dos Cunha e das Bruxas.

Outro ponto turístico é a Represa Jaguari/Jacareí, que abrange vários municípios. É possível acessá-la de duas formas: por terrenos particulares ou pelo “Mangue Seco”.

Para quem gosta de esportes radicais e caminhadas, o Gigante Adormecido é uma boa opção. A montanha, situada na Serra do Lopo, possui 1.725 metros de altitude e proporciona um dos mais belos visuais da região.

O nome Gigante Adormecido surgiu pelo formato da montanha, cujas curvas lembram um homem deitado.

Outros pontos para caminhadas são a Pedra do Medo, com 1.470 metros de altitude, que possui lindos mirantes naturais e o Pico do Selado, localizado na divisa de Joanópolis e Monte Verde (MG). Ambos exigem um bom condicionamento físico. Para chegar à Pedra do Medo é necessário fazer uma caminhada de 3 horas (ida e volta) e ao Pico do Selado o desafio é ainda maior – 5 horas para chegar até o topo. Isso se você não for perseguido pelo “Corpo Seco” – um fantasma que assombra quem ousar chegar até o lugar, segundo uma lenda local.

Por sinal, Joanópolis tem muitos “causos”. O mais conhecido é o do lobisomem. O mito começou em 1983, com o lançamento do livro da folclorista Maria do Rosário de Souza Tavares de Lima.

Maria do Rosário notou que havia na cidade uma grande quantidade de histórias sobre o lobisomem e resolveu estudar o assunto, o que deu origem à tese defendida na Escola do Folclore de São Paulo e que acabaria resultando no livro “Lobisomem: assombração e realidade”.

A história ganhou força na cidade e o comércio local aproveitou o interesse e criou inúmeras lembranças – camisetas, chaveiros, cachaça, doces e bonecos.

Na porta do Empório Cachoeira, por exemplo, é possível fazer fotos com grandes bonecos que enfeitam o espaço. No local, além de produtos típicos, como artesanato, doces e cachaças, há uma curiosa coleção de garrafas antigas, de propriedade de Braz Luiz Cantelli Xavier da Silva.

Para concluir o passeio por Joanópolis é indispensável uma parada no centro da cidade.

Na Praça encontramos a Igreja Matriz São João Batista, construída em 1910 no local onde foi levantado o primeiro mastro em homenagem a São João Batista e, posteriormente, uma pequena capela.

E para conhecer um pouco da gastronomia local, fica a sugestão de tomar um café na Padaria Central e provar o famoso pão PRP, feito desde a década de 30 em homenagem ao Partido Republicano Paulista. O proprietário Marcos contou um pouco da história do PRP ao Tem Cidades.

Para quem pretende se hospedar, a cidade oferece opções de pousadas e campings e inúmeras opções de lazer. E ainda é muito fácil de Joanópolis chegar a Extrema e Monte Verde, em Minas Gerais, outros simpáticos munícipios turísticos.

 

Referências: 

Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo. Disponível em : https://www.turismo.sp.gov.br/publico/noticia.php?codigo=1358.  Acesso em 30.05.2021.

Prefeitura de Joanópolis. Disponível em: https://www.joanopolis.sp.gov.br/. Acesso em 30.05.2021.

Prefeitura da Estância Turística de Joanópolis – Mapa Turístico. Secretaria de Turismo e Eventos.

 

 

Informe sobre Covid-19: Para limitar a propagação do coronavírus, as atrações podem estar total ou parcialmente fechadas. Consulte o governo local antes de programar a viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale Conosco!
1
Fale Conosco!
Seja bem vindo ao Tem Cidades!
Quer seu site anunciado aquí?
%d blogueiros gostam disto: